quarta-feira, 20 de junho de 2018

sexta-feira, 1 de junho de 2018



Miúdos a votos

(a nível Nacional)



No 3º ciclo, foram as obras inspiradas em histórias reais que conseguiram mais votos. A «Culpa é das Estrelas», de John Green, ficou em primeiro lugar, com 10,9% dos votos. Em segundo e terceiro lugares, ficaram colocados os candidatos «Avozinha Gângster», de David Walliams - com 9,4 % dos votos - e «O Rapaz do Pijama às Riscas» de John Boyne, com 9,2% dos votos.




Miúdos a Votos


Os alunos do 1.º ciclo elegeram o «O Tubarão na Banheira», de David Machado, como o livro mais fixe, com 7,9% dos votos; em segundo lugar ficou «O Bando das Cavernas - Na maior há 10 mil anos», de Nuno Caravela (7,8% dos votos); e «O Principezinho» de Antoine de Saint-Exupéry, foi o terceiro candidato eleito (7,8% dos votos), acabando assim destronado do 1º lugar conseguido na votação de 2017.





No 2.º ciclo, dois autores britânicos que já o ano passado tinham alcançado o pódio voltaram a ganhar: «Harry Potter e a Pedra Filosofal», de J. K. Rowling, é o vencedor, com 13,8% dos votos; e «Avozinha Gângster», do autor e também comediante David Walliams é o outro, tendo alcançado o segundo lugar com 11,1% dos votos. «A Fada Oriana», de Sophia de Mello Breyner Andresen, ficou em 3.º lugar, com 5,8% dos votos dos meninos do 5º e 6º ano.






terça-feira, 29 de maio de 2018



EXPOSIÇÃO

"SEMANA DA FRANCOFONIA"







            Iniciativa do Departamento de Línguas









Dinamização das Bibliotecas Escolares

"Oficinas ao redor do livro"
1º ciclo

É objetivo oferecer às crianças e à biblioteca escolar uma dinâmica onde o livro é o protagonista e a aprendizagem se realiza fazendo, pela construção, experimentação e criação.


HISTÓRIAS À SOLTA












domingo, 27 de maio de 2018





Eu conheci um cão.

Ele era fofinho, mas também anão.

O cão sabia utilizar o fogão,

eu vi como ele utilizou a mão.


Eu vi um gato

A caçar um rato

Estava preso num cato

Eu salvei-o e dei  comida ao gato.


Eu vi um lobo

 Que parecia um bobo

Sabia o globo todo de cor

E andava como um robô.

                                                                 Laura Bubashvili, 5ºA

  Lígia Boldori   - livro " Dona Cárie, a intrusa da festa" 

Turmas do 2º e 3º anos 






Sandro William Junqueira

 Atividade: Contar as metas - "Os Piratas" de Manuel Antonio Pina -

 Turmas de 6º ano







Concurso Nacional de leitura - Fase Distrital - vencedora Carolina de Sousa- 6ºB




quarta-feira, 2 de maio de 2018

A Árvore da Vida…





      Num lindo dia de primavera, no dia 22 de março de 2017, nasceu uma simpática árvore, com raízes no coração da terra.
     - Olá, sou uma pequena e singela árvore na margem esquerda do rio… acabei de nascer e já lá bem no fundo da terra, a minha mãe dizia que a minha Hora estava a chegar!
     - A Hora, mamã, … a Hora de quê? Para quê?
     - Mais tarde, quando fores crescida, irás descobrir! Agora está na Hora de descobrires o mundo, a Hora de abrires os olhos… o mundo precisa de ti, da tua visão, do teu tato, do teu paladar, do teu olfato e da tua audição… e nunca te esqueças que vida é: Cor, Luz, Amor, Família, Natureza, Escola e todas as maravilhas do Mundo…
     A pequena árvore depressa cresceu e depressa abriu os seus olhos e …. depressa apurou os seus sentidos. Sentia a primavera a acenar e o verão com pressa para dar as boas vindas! Sentia o sol a espreitar sorrateiramente; observava o céu pintado de um azul suave, numa só tonalidade; olhava, cheirava as flores e lembrava-se do perfume da mãe, mil e uma flores… Qual delas a mais cheirosa e charmosa? Ouvia e sentia a brisa do mar a segredar aos pássaros, às crianças, quase que, como um “apelo” a uma bela sesta na praia.
    Ao seu colo acolhia meninos alegres, divertidos e muito unidos, que brincavam e imaginavam o mundo colorido, nas suas folhas de papel, construíam figuras humanas e animais com as suas preciosas folhas… verdadeiras obras de arte que, delicadamente, pedia para  pendurar nos seus ramos, com muito orgulho e amor.
     Chegado o outono e mais tarde o Natal, com a chegada do inverno, vestiu-se de outras cores, para o mau tempo se sentir confortável e acolhedor. Sentia-se despida e com frio… era a nova estação do ano a dar as suas graças.
    - Dou graças ao outono e ao inverno por beber tanta água, que me fará crescer saudável, ter belos ramos e boa sombra. Mau tempo?! Será?! Não sei se será!!! É tão bom ouvir o vento frio falar da neve. Pena a neve não chegar ao meu rio. Fico à espera que uma criança, um dia, me faça uma surpresa e se lembre de me trazer uma bola de neve ou se lembre de me vestir de branco…
    - Vou contar-vos um segredo… Sabem que uma árvore sonha? Pois é…
     - Sonho em ser um hotel para pássaros:
     “aluga-se sem preço um ninho
      com assoalhadas quentinhas
      para depenados e janela
      com vista para o rio.”
     Sonho em ser um navio, um avião, para partir à descoberta, com as minhas amigas e família.
     Sonho em ser um carro de bombeiros e com baldes de água apagar os incêndios… baldes de água? Incêndio? Sim! Um balde de água para cada amiga, apagávamos o fogo de uma vez só! Seria tão fácil… mais fácil seria não existir incêndios, que eu tenho tanto medo!
     A pequena árvore ainda tem muito para viver, muitas primaveras, muitos verões, muitos outonos, muitos invernos… dias e noites sem fim.
      - Sou apenas uma árvore na margem do rio. Descobri que com os meus olhos se vai longe. Desde que estejam abertos, bem abertos para o mundo…  descobri que temos amor nos nossos olhos, que se pode observar, sentir, ouvir, escutar e cheirar à distância… descobri que um abraço todos os dias consola a alma, em dias menos alegres.
       Para a pequena árvore, uma das bases do sonho é sermos providos de amor, vida, pela natureza e pela sociedade … mas não se esqueceu que todas têm imaginação, criatividade, para assim sonhar, sonhar, sonhar e concretizar os sonhos.
     - Lembram-se do que a minha mãe dizia, lá no fundo da terra? A minha Hora estava a chegar! Agora sim percebo a mamã. A Hora de dar Vida à terra para os seres humanos viverem felizes e em harmonia entre si e com a natureza….
    Agora os seus ramos fazem cócegas às nuvens e traçam desenhos no céu, do imaginário de cada ser humano….
Joana Domingues,  5.º A

segunda-feira, 9 de abril de 2018

É tão bom ser....


É tão bom ser poeta
Partilhar os meus poemas
Inventar que sou atleta
Para escrever com as minhas canetas
Os poemas mais bonitos
Para as pessoas especiais
Conseguir fazer poemas
Com palavras sensacionais.


É tão bom ser jardineira
Para sentir o aroma das flores
Todas muito formosas e bem cheirosas
Ver as heras na parede
A crescer, a crescer
Que são telas para pintar
Se as conseguir imitar.



É tão bom ser um cachecol
Aquecer as pessoas
Que me usam todos os dias.
De inverno eu aqueço
De verão eu sirvo de toalha
Para me levarem para a praia.
                                                             Frederica, 5ºA

É tão bom ser
Quem queremos ser.
Vens cantando a tua música do tempo
É como uma hera que vai trepando
E prendendo a princesa sem coroa
Um cavaleiro sem espada
Como um caderno sem folha
É como um livro sem história
Como o céu sem estrelas
E uma sala sem meninos.
                                                  Joana D., 5ºA



É tão bom ser criança
Não pesamos na balança
Acordar cedo para ir para a escola
É tudo o que tenho de fazer
Mas também tenho que comer.

O meu poema acabou
Apesar de parecer que começou…
                                                             João Castro, 5ºA



É tão bom ser criança
Podemos rir, brincar, jogar…
Enquanto que os adultos estão sempre a trabalhar.
Há que aproveitar o tempo que temos a gozar
Pois daqui a uns bons anos
Vamos ter que nos empenhar.
Teremos de ir para um escritório
Para nas teclas carregar…
Quando tomamos o pequeno almoço, com calma podemos mastigar,
Ao contrário dos adultos, que pegam numa maçã
E toca a zarpar, para ir trabalhar…
Mas quando for adulta, não será assim tão mau
Pois serei uma poetisa
E a minha profissão será imaginar!
Para com letras escrever e com palavras contar
Uma história de encantar…
                                                Marta Almeida, 5ºA


É tão bom ser uma criança feliz
Não ter tantas responsabilidades
E ao contrário dos adultos
Temos essas possibilidades.

Não temos de aturar bebés chatos
Ou de cuidar de crianças
Não temos de lavar pratos
Nem de regar as plantas.

Temos muita sorte em ser crianças
Com vidas sensacionais
Mas tenho de admitir
As nossas são especiais.
                                          Gil Cunha, 5ºA


É tão bom ser feliz
Ter uma imaginação fértil
E perder a memória
Na história.
                                  Dominic, 5ºA
















sexta-feira, 30 de março de 2018

Atividades do Mês da Leitura

"Contar na Pré"  
Jardim de Infância de Santo Estêvão e no Jadim de Infância da Luz 











Marcadores de livros 
com poemas alusivos a alimentos, na cantina da escola






Leitura Expontânea




Tavira a Ler


9ºA 


"Livros por aqui e por ali"(sala de prof.) 




Ler poesia...em sotaque espanhol.



Concurso " Mostra que sabes" - Inglês



segunda-feira, 5 de março de 2018

O Equilíbrio do Universo

E
ra uma vez uma fada que era singular. Tinha um olho castanho e um azul, tinha as pernas trocadas, as suas asas eram pretas e não conseguia voar.
Todas as fadas gozavam com ela e assim ia ficando cada vez mais triste. Um dia lembrou-se de procurar um feitiço que a pusesse como as outras fadas. Então procurou em todos os livros da biblioteca e levou três dias e duas noites a encontrar o feitiço. Quando o encontrou ficou tão feliz que até foi expulsa da biblioteca. Quando chegou a casa, pegou na sua varinha de condão, pronunciou as palavras mágicas e tocou-se com a varinha. De imediato não se notou nada, mas de um momento para o outro ficou tão, mas tão bonita, que até se pode dizer que era a fada mais bonita da floresta.
Olhou pela janela e viu que a floresta estava a ficar murcha e negra, as fadas escureciam e ficavam tão feias como ela antigamente.
Passados uns dias, ela chegou à conclusão de que tinha de desfazer o feitiço. Procurou no livro, pronunciou as palavras mágicas e tudo voltou ao normal. E a partir daí as fadas nunca mais voltaram a gozar ou a troçar da fada.
E assim o equilíbrio do universo voltou ao normal !!!


Joana Oliveira
                  nº13 5ªA  

domingo, 4 de março de 2018

Texto de Opinião


O respeito pelos direitos dos animais 


Os animais têm direitos como os humanos.

Nós gostamos muito de animais e temos muito carinho pelos nossos bichos.

Eu acho que devemos respeitar os direitos dos animais porque eles são seres vivos como nós e também têm sentimentos. Todos conhecemos um cão que salta de alegria quando o seu dono se aproxima.

A nova lei de poder levar animais aos restaurantes é um pouco polémica.

Por um lado, há animais domésticos fora do comum, como cobras e aranhas, que incomodam e assustam certas pessoas.

Por outro lado, os animais, tal como os humanos, também devem poder frequentar os sítios que os humanos frequentam, mas com a condição de os donos se responsabilizarem pelo seu comportamento, não pondo em perigo os outros fregueses.

Concluindo, os animais domésticos dão muitas alegrias aos seus donos e fazem-lhes companhia. Contudo, devemos sempre respeitar as pessoas que não gostam ou tem medo de animais.

Autores: 6º A

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Visita à Biblioteca Municipal José Saramago, Beja


No mês de janeiro, todas as turmas do 2º ciclo da nossa escola tiveram a oportunidade de visitar a Biblioteca Municipal José Saramago, de Beja. Depois de uma breve visita às instalações, onde puderam observar como está organizada e o modo de funcionamento da biblioteca, os alunos foram levados para a emblemática Cave da Biblioteca.



  Aqui, os alunos iniciaram um percurso de leitura em torno dos universos poéticos de João Pedro Mésseder, autor do livro que dá nome a esta exposição “ Tudo é sempre outra coisa” e de Rachel Caiano, artista plástica e ilustradora do mesmo livro. Através de propostas apelativas, jogos de leitura e escrita, desenharam-se múltiplas trajetórias, procurando-se encontrar caminhos para uma relação entre o livro, a leitura, os espaços e os objetos. Na Cave todo o corpo foi convidado a jogar e os sentidos convocados a ler o lado de lá do livro. 



Eis alguns excertos de  trabalhos elaborados por alguns alunos:


“Todos os pássaros que estão no céu
São aqueles que cabem na minha mão”
Afonso Matias, 6ºD




“Tudo pode
Ser sempre outra coisa
E essa outra coisa
É que é a grande surpresa”
Dominic, 5ºA




 “Um cão pode ser muita coisa,
Como um animal de estimação;
Mas na visão das pulgas, vê-se um lar e não um cão.”
Gil Cunha, 5ºA



“Tudo é outra coisa
Livros e mais livros
Jornais e revistas
Contos e histórias
Ler é bom
É um doce com o sabor de um bombom
Sabes aprender
Amigos e colegas
Fomos ouvir poemas
Rimas e riscos
Como um tempo
Relógios e ovos
No lindo prato de campo
Outra coisa
Pouco a pouco
Faz o caminho
Ficando seco
Como a minhoca
Que estuda gramática
Biblioteca mágica
No som de uma viola.”
Lucas, 6ºD






quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018







O Vale dos Moinhos, de Noelia Blanco e Valeria do Campo, da Paleta de Letras, foi o livro escolhido pela professora bibliotecária para animação de leitura, nas turmas de 2ºano da EB1D.Manuel I. 


Um livro que se refere, entre outras coisas, à importância de sonhar e de nunca desistir dos sonhos.










1.º Concurso Book Trailers




A Rede de Bibliotecas de Tavira leva a cabo um concurso de book trailers no concelho de Tavira, com o principal objetivo de dinamizar e promover a leitura, a cultura e as bibliotecas.

Um book trailer é um vídeo curto que tem como objetivo apresentar, de maneira breve e visual, a atmosfera de um livro, sem mostrar a trama completa nem o desenlace, de maneira a sugerir e criar o interesse do leitor para ler aquele livro.



» Consulte o regulamento do concurso



Inscrição

Poderá entregar a ficha de inscrição, presencialmente, na receção da Biblioteca Municipal Álvaro de Campos ou enviar por correio eletrónico para o endereço biblioteca@cm-tavira.pt (nota: se for menor, e se optar pelo envio eletrónico, a declaração deverá ser, igualmente, entregue no local supra referido.)


Participe!